Saiba como valorizar o seu imovel

valorize o seu imovel

Na hora de comprar a casa dos sonhos, certamente a pessoa tem muitas dúvidas e muitos pontos diferentes para tratar. Na hora de vender, uma das preocupações principais é sobre como valorizar o imóvel que vai ser negociado.

De fato, todo mundo que já passou por isso sabe que um dos maiores riscos que existe ao anunciar uma casa usada é o de ela acabar desvalorizando demais. Às vezes, o valor que o mercado reconhece pode estar bem abaixo do esperado.

Lembrando que tais propostas podem vir desde compradores finais, que não necessariamente têm experiência no setor, até imobiliárias e corretores que, estes sim, entendem do mercado, e talvez não estejam sendo tão injustos quanto pareça.

Além disso, quando se fala em reforma, a questão pode envolver tanto uma simples limpeza de fachada e alguns reparos menores, quanto a modificação da rede elétrica ou hidráulica inteira, o que dá muito mais trabalho.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo vários conceitos e várias dicas práticas sobre como valorizar um imóvel para sua venda. Com isto, é possível faturar muito mais e garantir uma negociação realmente positiva para os dois lados.

Tudo isso se torna ainda mais importante se considerarmos que o mercado imobiliário tem crescido cada vez mais nas últimas décadas. Mesmo com as crises recentes, o setor subiu 2,3% (acima do próprio PIB, que cresceu apenas 1,1%).

Os dados são da Abrainc, a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias. A pesquisa também revelou que em números absolutos o setor já movimenta mais de R$ 60 bilhões por ano. Isso inclui, justamente, construções novas e usadas.

Ou seja, no meio de todo este valor está a transação que cada um de nós pode fazer comprando/vendendo um imóvel. Além dos investimentos de reparo, que hoje já incluem pintura, encanamento, fiação, sistema de segurança digital, etc.

Sendo assim, se você quer entender a fundo como o seu imóvel pode realmente se valorizar perante o mercado imobiliário, basta seguir adiante na leitura.

Por que valorizar um imóvel?

Ao contrário do que podemos pensar num primeiro momento, a valorização do imóvel tem várias razões de ser feita, e não apenas a financeira. Embora esta seja a mais importante.

A questão do valor é bem prática, aliás. Até porque, a desvalorização costuma ser injusta, já que acaba se mostrando muito maior do que os gastos que você mesmo teria para corrigir eventuais problemas.

Por exemplo, se a fachada do imóvel está detonada (o que poderia custar algo entre vinte ou trinta mil reais para arrumar, dependendo do caso), é possível que a construção acabe tendo cerca de cinquenta mil reais de desvalorização.

Assim, uma reforma de fachada seria muito melhor do que simplesmente esperar que o comprador fizesse os reparos, concorda? Outra vantagem está no fato de que ao fazer os reparos, certamente a venda vai acontecer mais rápido.

Se você mesmo fosse comprar uma casa, concorda que, a possibilidade de se encantar com uma que se apresenta nas suas melhores condições, seria bem maior do que gostar de outra que precisa de melhorias?

Neste sentido, literalmente, um galão de tinta branca já pode fazer toda diferença. A verdade é que nenhuma negociação ocorre de maneira 100% racional.

Muitas vezes, o elemento emocional prepondera durante a relação de compra e venda. Outro detalhe técnico é que vender mais rápido também tem vantagens paralelas.

Não se trata apenas de ter um retorno imediato: às vezes, você pode ter custos de anúncio para promover seu imóvel. Portanto, quanto mais tempo você pagar o anúncio, pior vai ser, e quanto mais rápido vender, melhor.

Sobre manutenção preventiva

Existe modo melhor de manter algo em funcionamento do que evitando que ele chegue ao ponto de quebrar? Imagine um carro, por exemplo, ele vai precisar de manutenções periódicas e check-up, não é mesmo?

Se você forçar o uso até o ponto de ele travar, certamente o gasto vai ser muito maior. Por isso mesmo, a melhor maneira de falar em valorização de imóveis é, na verdade, tomando cuidado com o uso diário dele.

Se a construção está alugada, é preciso exigir que os inquilinos e a imobiliária se responsabilizem, em contrato, pela preservação do local. Hoje os laudos já incluem desde a situação das portas e janelas, até a da calha para telhado.

Ou seja, quando a pessoa sair do imóvel, ele deverá estar em condições, seja porque o inquilino pagou pela revisão, seja porque ele cuidou do espaço tal como deveria.

Esta é a famosa manutenção preventiva, que também pode ser feita por você mesmo, caso o uso do imóvel esteja sob sua responsabilidade, e não de terceiros.

A pintura nova ainda importa?

Acima falamos sobre “um simples galão de tinta”. Geralmente, mesmo que o uso de uma construção tenha sido feito de modo cuidadoso, as paredes precisarão ser pintadas.

Claro que em situações mais drásticas o mau uso pode chegar a comprometer uma parede, exigindo uso de massa ou até de reboco. Mas geralmente a pintura nova já é suficiente para mudar bastante o cenário.

Já existem produtos que lidam até com problemas mais graves, como infiltrações, mofos e afins. Além disso, uma dica bacana é levar em conta o espaço como um todo, para garantir tons que contribuam para a iluminação do ambiente.

Pouca gente costuma se lembrar de que a pintura tem tudo a ver com isso, e que ela sozinha já pode influenciar na iluminação de um ambiente.

Cozinhas mais antigas, por exemplo, que contam com azulejos mais escuros, podem ser pintadas com tinta especial para esse tipo de material.

Ainda sobre a questão da segurança

Nunca é pouco falar sobre segurança, e tenha certeza de que muitas pessoas ainda pensam nisso quando vão investir na compra de um imóvel.

Essa dica também tem vários extremos, e pode ser aplicada de maneira mais simples e econômica, ou de modo mais custoso, a depender do caso.

Por exemplo, a segurança pode estar ligada à manutenção gas residencial, algo que pouca gente levaria em conta, mas que se for feito com certificação e atendendo às normas pode valorizar qualquer imóvel.

Já no seu sentido mais clássico, a segurança tem a ver com a violência urbana. Aí sim, é preciso reforçar o portão (ou instalar um portão elétrico), e pensar em cada detalhe.

Não adianta de nada uma fachada perfeita, se houver janelas ou muros laterais sem segurança. A mesma situação vale para corredores, que costumam passar despercebidos também, e podem ser facilmente reforçados com cercas e câmeras de segurança.

Por dentro da tecnologia atual

Falando em câmeras de segurança, surge o assunto da tecnologia. Um ponto muito importante aqui é considerar a localização e o valor do imóvel.

Quando se trata de um investimento mais alto, e o problema para vender persiste, tenha certeza de que aí tem coisa.

O que pode estar ocorrendo é que hoje nós vivemos a época da automação residencial. Ou seja, há casas totalmente inteligentes, com controles remotos para:

  • Cortinas;
  • Portas e Portões;
  • Aspiradores;
  • Lâmpadas;
  • Ar-condicionado;
  • Entre outros.

Portanto, investir em algo assim pode não estar fora dos planos quando se fala em mansões. Ou mesmo em casas mais baratas, porém associadas a descanso e férias, como casas de campo ou casas na praia.

Áreas verdes e de descanso

Outro ponto que pode fazer toda diferença hoje em dia é o do paisagismo jardim. De fato, mesmo apartamentos já têm encontrado soluções para isso, enfrentando o desafio da falta de espaço e trazendo soluções verdes (e até ecológicas) para seus ambientes.

Um exemplo são os jardins de inverno, que podem fazer fronteira com a varanda, tornando um ambiente interno do apartamento mais iluminado e mais natural.

Outro exemplo são os jardins verticais, que podem tomar uma parede inteira, deixando o ambiente inteiro muito mais atraente. Além de que plantas contam como decoração, o que pode dar ainda mais vida a qualquer ambiente.

A mesma situação vale para áreas de descanso. Uma manutenção de bomba piscina, quando a casa conta com esse recurso, pode valorizar o ambiente, em vez de anunciar a casa dizendo que “é preciso arrumar a bomba”, concorda?

Bônus: vistoria e demais vantagens

Uma dica que não tem a ver com reformas diretamente, mas que também pode fazer toda diferença, é a da vistoria.

De fato, reformar uma casa pode ser algo muito complicado e custoso. Portanto, nem sempre é bom chamar um pedreiro, por mais que ele seja de confiança, sem antes consultar uma empresa de vistoria.

Em geral, elas emitem um laudo muito mais completo, e ponderam entre as demandas realmente urgentes, e que podem valorizar um imóvel, e outras que simplesmente podem ficar de fora, caso o orçamento seja baixo.

Outra vantagem da vistoria é que ela também ajuda com a parte burocrática de documentação, IPTU e qualquer irregularidade que pudesse não apenas desvalorizar o imóvel, mas tornar sua venda uma ação ilegal e impraticável.

Tudo isso comprova como investir na valorização do imóvel é, ainda hoje, um dos melhores recursos antes de se colocar uma construção à venda.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Actualizado el