Pisos: Diferenças entre quentes e frios

pisos

Os pisos fazem parte de todo tipo de construção e são importantes para revestir os ambientes e torná-los mais agradáveis e bonitos. Mas, a escolha não se baseia apenas na beleza ou cor, é necessário conhecer os seus tipos.

Com o passar do tempo, novas possibilidades foram surgindo no que diz respeito a eles, e quem está construindo ou reformando pode escolher o tipo que mais se adequa às suas necessidades.

Isso é muito bom porque, dependendo do clima onde você vive, alguns são mais recomendáveis do que os outros.

Por exemplo, podemos observar que em países ou cidades mais frias, os pisos de madeira são os mais usados. Isso porque eles mantêm o ambiente aquecido e tornam a sensação térmica muito melhor.

Por outro lado, em cidades e países quentes, como o Brasil, os pisos frios estão em alta porque eles também amenizam a temperatura e tornam os ambientes mais agradáveis.

Portanto, na hora de escolher como revestir a sua obra, além de matéria-prima, estilo e cores, é preciso analisar se o ideal é usar piso quente ou frio.

Pensando nisso, vamos falar um bom sobre esses dois tipos e quando é melhor aplicar um ou outro.

Diferenças entre pisos frios e quentes

Antes de falarmos sobre as diferenças entre pisos frios e quentes, vamos definir cada um deles. 

O piso frio, também conhecido como piso cerâmico, conduz melhor o calor e ameniza a temperatura do ambiente.

É mais indicado para lugares quentes e pode ser usado em qualquer espaço da construção, como:

  • Sala;
  • Quartos;
  • Cozinha;
  • Banheiro;
  • Corredor;
  • Áreas externas.

Contudo, mesmo em locais mais frios que aderem ao piso taco de madeira, os pisos frios são usados nas áreas externas, principalmente os antiderrapantes, bem como em cômodos úmidos como cozinha e banheiro.

Além de ter boa durabilidade e resistência, eles são fáceis de limpar, bastando apenas um pano úmido e um desinfetante.

Podemos encontrar diversas opções no mercado em relação a tamanho, espessura, cores, estampas e acabamentos. 

Um exemplo que vem se destacando no mercado é o porcelanato, visto que imita perfeitamente a madeira e o mármore.

Dentre os mais usados também está a cerâmica, que possui preços acessíveis, no entanto, deve ser escolhida levando em conta o ambiente e a intensidade do tráfego nele.

Com relação ao piso quente, ele não conduz bem o calor, como no caso de carpetes, piso de madeira, tacos, entre outros. 

Eles estão sempre na mesma temperatura, por isso, no inverno, mantém o espaço aquecido.

Esse tipo de piso mantém sua temperatura, o que torna os cômodos mais confortáveis. 

Além disso, trazem a sensação de ambiente íntimo, sendo ideais em espaços secos, como quarto e sala.

Esse estilo reúne os pisos de madeira natural, madeira de demolição, parque, taco e o laminado, que é produzido a partir de madeira.

Além de outros tipos provenientes de matéria-prima natural ou industrializada, como:

  • Vinílico;
  • Carpete;
  • Piso ecológico;
  • Resina.

Assim como os pisos frios, os quentes combinam bem com fechamento de vidro e outros materiais presentes no projeto.

Em vista das características dos dois tipos, podemos dizer que a principal diferença entre eles é a sensação térmica que provocam no ambiente e o material com que são feitos.

Enquanto o piso frio se utiliza de matéria-prima como cerâmica, o piso quente, geralmente, é constituído de madeira.

O piso frio é mais indicado para regiões quentes e o pinto quente para regiões frias. Mas, a aplicação de qualquer um deles requer atenção em vários sentidos, e é sobre isso que vamos falar a seguir.

Tipos de pisos e quando usar

Vamos mostrar alguns tipos de pisos dentro das duas categorias para que você possa escolher aquele que mais combina com a sua porta de madeira para área externa e com o ambiente.

Os frios

Na categoria piso frios, temos a cerâmica, que se diferencia do porcelanato por sua fabricação. 

Ela mistura argila e minerais que são queimados em alta temperatura, para que seja resistente à abrasão e absorção de água.

O porcelanato, por sua vez, tem um processo de fabricação bastante complexo, misturando porcelana e minerais que são queimados em alta temperatura.

É com isso que ele se torna menos poroso e resistente, conferindo, também, maior durabilidade. Também temos o mármore, uma rocha metamórfica originada do calcário.

Dependendo dos minérios presentes em sua composição, sua coloração varia do branco ao preto. 

Assim como o piso vinílico antiderrapante, o mármore deixa os cômodos mais bonitos e aconchegantes.

Os pisos frios são recomendados para locais quentes, isso porque possuem ótima condutividade térmica, que transporta o calor e diminui a temperatura do espaço.

São ótimos para os ambientes externos, como quintais, varandas, área da piscina, garagem, dentre outros. 

Outra aplicação bastante recomendada são os espaços úmidos do imóvel.

Se você usar piso de cimento polido no banheiro, não terá problemas como formação de mofo, ao contrário do piso de madeira, que pode se deteriorar por conta da umidade.

O piso frio é altamente resistente à umidade e ideal para o banheiro e a cozinha. O preparo de alimentos e o uso de itens como torneira e geladeira umidificam a cozinha, portanto, seu revestimento deve ser feito com material resistente.

Sem falar que a gordura no preparo de alimentos fritos podem impregnar outros materiais, como a madeira. 

O piso frio é mais fácil de limpar e você consegue remover a gordura com mais facilidade.

Com relação às áreas externas, estas estão sempre expostas à chuva, então, os pisos frios são recomendados porque não sofrem nenhum tipo de dano.

Os quentes

No que diz respeito aos pisos quentes, um dos tipos mais usados é o laminado. Eles são ótimos para locais mais frios, e podem ser tanto de madeira maciça ou compensada.

Outro tipo bastante popular é o carpete em placa, um tipo de manta feita de tecidos sintéticos aplicada por cima do piso normal.

É indicado para quem deseja que o revestimento frio se torne mais quente, sem mudá-lo completamente. São ótimos para reter o calor, maleáveis e antiderrapante.

Os assoalhos, também conhecidos como taco de madeira, são blocos que se encaixam de maneira firme. Ao serem calçados, favorecem a retenção do calor.

É possível encontrá-los em diferentes tamanhos e esta é uma das opções mais bonitas e que mais valorizam o imóvel.

Existem também os revestimentos adicionais, que deixam um piso laminado imitando madeira, por exemplo, ainda mais térmico, como no caso da manta de polietileno.

Trata-se de uma camada que se fixa ao piso original, independentemente de seu tipo, reduzindo a condução de calor e retendo-a na superfície. Essa manta proporciona mais firmeza e resistência para o material escolhido.

Os pisos quentes são indicados para os locais secos e internos, como sala, quarto e corredor. É ideal, principalmente, para os espaços onde você deseja mais conforto e aconchego, como no caso dos dormitórios.

Também são ótimos para apartamentos e andares superiores porque diminuem o impacto da pisada, reduzem o barulho de queda de objetos, o que traz mais privacidade a esses espaços.

As escadas internas também podem ser revestidas com os pisos quentes, visto que eles são mais seguros por serem menos escorregadios. No entanto, é preciso ter cuidado com a cera aplicada.

A sala, por fim, pode receber os pisos quentes, independentemente de seu tamanho ou estilo de decoração. 

Aliás, podemos dizer que a madeira enriquece ainda mais o cômodo e o deixa mais bonito e confortável.

Assim como no quarto planejado, você pode ter uma sala planejada com piso de madeira, tacos, carpetes, dentre outras opções, combinando perfeitamente com o tom de toda a decoração.

Mas, lembre-se de que o ideal é usar esse tipo em regiões mais quentes, tendo em vista que quando as temperaturas estão muito altas, você pode sentir uma boa diferença na sensação térmica. Portanto, o ideal é pensar bem.

Conclusão

Talvez você não soubesse que existiam tantos pormenores entre os revestimentos para o piso do seu imóvel. Mas, agora que sabe, pode escolher a opção que mais atende às suas necessidades.

Prezar pela beleza do espaço é fundamental, mas ela deve estar unida ao conforto do ambiente. 

De nada adianta colocar um belo porcelanato na casa toda se você mora em uma região muito fria no inverno. Assim como não adianta optar pela madeira na casa toda se a sua cidade é extremamente quente no verão. 

Sua casa é um lugar que precisa ser bonita e confortável, sempre proporcionando bem-estar.

Neste artigo, você aprendeu um pouco mais sobre os pisos quentes e frios e está pronto para escolher a melhor opção para o seu lar.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

 

Actualizado el