Cobre leito: o que é e para que serve?

cobre leito

O quarto ou dormitório é um dos cômodos mais importantes de qualquer casa, por ser onde repousamos e onde dormimos para “recarregar as baterias”. Aí é que entra em cena a figura do cobre leito, que tem feito cada vez mais sucesso no Brasil.

De fato, o setor conhecido como varejo de cama, mesa e banho já passou por algumas oscilações em anos anteriores, devido a várias crises. Porém, nos últimos períodos ele tem registrado apenas crescimento e aumento nas vendas.

Assim, o segmento, que pode incluir desde colchas e edredons até um enxoval de bebê completo, no último ano cresceu mais de 7%. 

Com isso, o Brasil registra uma movimentação total de cerca de R$ 20 bilhões na área, o equivalente a mais de 520 milhões de peças vendidas.

Isso tem atraído a atenção de muitos e é aí que surgem as inovações, o aumento do portfólio e do mix de produtos que as lojas podem oferecer, seja na venda presencial ou nos e-commerces e lojas virtuais.

Mas nem sempre é fácil reconhecer a diferença entre as opções, como por exemplo:

  • O cobre leito;
  • O cobertor;
  • A colcha;
  • O protetor;
  • O edredom.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo as informações básicas sobre o cobre leito, especialmente em comparação com as demais opções de roupa de cama, que podem servir mais ou menos para a mesma finalidade.

Além disso, é preciso falar de tendências e da decoração geral do dormitório. Afinal, a escolha de um bom cobre leito pode ser influenciada por vários fatores, desde a aplicação que a pessoa imagina até os moveis planejados quarto casal, por exemplo.

Então, se você quer entender melhor do que se trata esse item diferenciado que pode dar um toque especial em um dos principais cômodos da sua casa, basta seguir adiante na leitura.

Qual é a origem das cobertas?

Todos os itens que listamos acima têm algo em comum, seja o próprio cobre leito ou um lençol: trata-se de cobertas que servem como roupa ou arranjo de cama.

Na verdade, essas soluções são mais antigas do que podemos imaginar em um primeiro momento, pois há registros de camas muito bem feitas desde a antiguidade clássica, como entre egípcios, babilônicos e árabes. A literatura está aí para prová-lo.

A grande diferença é que, contemporaneamente, o acesso que as pessoas têm a esse tipo de artigo é bem maior, e o uso de tais peças é relativamente disseminado entre pessoas de classe média baixa para cima, até as classes mais altas.

Também as noções decorativas são muito mais antigas do que imaginamos, como a ideia de combinar roupas de cama com almofadas, cortinas e estofados em geral do ambiente. Porém, do mesmo modo elas só se disseminaram entre classes baixas recentemente.

Além da questão econômica, há também um fator cultural aqui. Por exemplo, o uso de papel de parede para quarto masculino, feminino ou de casal era algo muito comum em países europeus e frios em geral.

Mais recentemente, essa aplicação tem se firmado no Brasil, sendo cada vez mais comum as pessoas recorrerem a ela. O interessante é que em nosso caso entra como uma peça estética, não raro em apenas uma parede.

Já no caso de países frios, o papel de parede tem uma função térmica, e costuma revestir vários cômodos integralmente, o que não impede que eles possam conter estampas e elementos estéticos, mas prevalece a função térmica.

Sobre a importância das cobertas

Além da origem das cobertas como um todo, é importante frisarmos que elas têm um papel muito maior do que simplesmente embelezar um dormitório.

Tudo começa pelo lençol, que tem a função de conservar o colchão por mais tempo, inclusive mantendo ele mais higiênico e até mais saudável.

A verdade é que os ácaros podem se acumular de maneira danosa se o colchão não for protegido, impactando depois em nossa saúde durante a noite de sono.

Além disso, a oleosidade natural de nossa pele, assim como as células mortas e até mesmo o suor podem piorar a situação, uma vez que não seria possível lavar o colchão tão facilmente quanto um lençol, não é mesmo?

Quando falamos sobre a cama de crianças, ou mesmo se tivermos o costume de comer na nossa própria cama, como com kit café da manhã, isso se torna ainda mais importante.

Nesses casos, mais do que o lençol, já existe até a solução dos protetores de colchão, que são uma espécie de lençol feito de material têxtil próximo do plástico.

Em todos esses casos, o que vemos é a importância das cobertas. Também por isso é indicado que, acima do lençol, utilizemos itens como o cobre leito.

Aprofundando o cobre leito

Assim, o cobre leito é um tipo de coberta, roupa ou arranjo de cama que nasceu com uma finalidade ligada ao clima de verão. Em decorrência disso veio uma tendência estética que costuma ser seguida, mas já não significa uma regra.

Essa tendência é a da peça clean, leve e com poucas estampas, já que o verão pede roupas largas e leves, para que a gente não passe calor. Esse tipo de tendência em função de fatores climáticos é comum, como no caso do piso cimento polido.

Trata-se de um modo de tornar o piso frio mais apropriado a ambientes receptivos, como saguões ou mesmo salas de estar para receber pessoas. Como eles são bonitos esteticamente, hoje podem ser aplicados com finalidade meramente estética.

Seja como for, por esse motivo o cobre leito acabou ficando conhecido como uma alternativa diferenciada em relação ao edredom e à colcha: ele pode servir de capa durante o dia e de coberta durante a noite.

Assim, a diferença para o próprio cobertor seria a de que o cobre leito também é decorativo, ao passo que o cobertor não serve para descansar sobre a cama durante o dia.

Quais são os principais modelos?

Como vimos, o cobre leito surgiu com uma finalidade, mas com o tempo, as variações de confecção podem ir se desconectando da proposta inicial.

Por isso, ainda que eles tenham surgido como uma peça de camada única, hoje é possível encontrar alguns que não cumpram essa regra, embora nem por isso cheguem a ser um edredom ou uma colcha (adiante explicamos a diferença entre esses três).

Outro exemplo parecido com essa situação é a da tela para janela, que surge como solução para evitar queda de crianças de janelas, sacadas e alturas elevadas em geral.

Depois se popularizaram na defesa de animais, e hoje podem ser aplicadas mesmo por quem não tenha nenhum dos dois em casa, apenas para evitar a queda de objetos como roupas na varanda.

Também assim, alguns cobre leitos podem contar com bordas trabalhadas, como franjas mais longas e até pompons menores. O que nenhum vai conter são costuras internas que impeçam a pessoa de se cobrir, pois isso já configura outros tipos de cobertas.

Portanto, o principal modelo de cobre leito é o dos trabalhados com camada única, franjas simples e até mesmo cores sólidas. Embora também já haja alguns mais coloridos, porém, sem fugir dos traços principais descritos acima.

Além disso, as franjas têm um fator interessante, que é de puxar uma combinação ainda mais importante com tapetes de dormitórios, ou mesmo com partes fixas da decoração, como um piso ou um rodapé de madeira branco.

Ou seja, como o cobre leito tende a interagir mais com o piso, esse tipo de fator pode ser levado em conta na hora de decidir. Ao passo que outras cobertas costumam combinar mais com cortinas, sancas (que ficam no teto) e até lustres e lâmpadas.

Diferenças para colcha e edredom

Até aqui já deve ter ficado claro que o cobre leito é uma coberta diferenciada por poder servir como recurso estético durante o dia e cobertor durante a noite. Ainda assim, descrever melhor as colchas e edredons pode ajudar na definição.

De cara, as colchas são compostas de no mínimo três camadas, sendo a de cima a mais complexa em termos de costura e confecção têxtil. Por isso mesmo, elas são mais pesadas e internamente rústicas, o que já é uma grande diferença.

Já o edredom tem semelhanças grandes com o cobre leito, porque pode ser utilizado também para se cobrir de noite. Assim, a principal diferença dele é a composição, que conta com várias camadas, já que ele também surgiu em países frios.

Diferentemente da colcha, o edredom conta com uma manta interna macia, que também permite o uso na hora de dormir.

Bônus: dicas para comprar

Atualmente, se a intenção for manter a funcionalidade estética e ao mesmo tempo térmica das cobertas, o mais indicado é comprar uma peça de cada, conforme as épocas do ano.

Além disso, também já existem cobre leitos vendidos no conjunto, exatamente como se faz com colchas e edredons. Assim você leva junto as fronhas e os lençóis.

Com isso chegamos ao fim, deixando claro do que se trata o cobre leito, para que exatamente ele serve e como pode tornar um dormitório mais bonito e aconchegante, seja em um quarto planejado ou não.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Actualizado el