Saiba mais sobre a nova etiqueta de eficiência energética

etiqueta

A nova etiqueta de eficiência energética surge para uniformizar a informação na União Europeia sobre todos os equipamentos existentes em sua casa.

A nova etiqueta de eficiência energética é um suporte importante para compreender melhor e comparar a eficiência de eletrodomésticos e, como tal, permitir que o consumidor opte por escolhas mais sustentáveis que ajudem o ambiente e que permitam também poupar na fatura da eletricidade, gás e água. Além disto, estes equipamentos são mais duradouros.

A mudança foi levada a cabo pela União Europeia, que ajustou a etiqueta de acordo com as necessidades do consumidor, sendo o regresso à escala de A a G a diferença mais acentuada.

No entanto, esta tabela será reavaliada regularmente, pelo que não é estátitica, e sempre em função da evolução tecnológica. Tal significa que quando vários equipamentos alcançarem a classe A, haverá um novo escalonamento das escalas, tendo sempre em perspetiva a criação de produtos cada vez mais eficientes e que permitam reduzir gastos.

Porque se deve mudar a escala da etiqueta?

De acordo com um inquérito realizado pela DECO, a escala anterior induzia em erro, visto que a maioria dos eletrodomésticos se situava nas classes A+, A++ e A+++, deixando as restantes vazias. Isto porque, naturalmente, os aparelhos menos eficientes foram, entretanto, desaparecendo do mercado.

Desta forma as classes “+” desapareceram, dando lugar a uma classificação de A a G, sendo a A aquela que corresponde ao nível mais alto em termos de eficiência energética.

Não estranhe, contudo, se durante a fase de transição, constantar que um eletrodoméstico com classe A+ na etiqueta antiga passe a ostentar, por exemplo, a classe D na nova designação. Isto acontece quer porque com o novo escalonamento das classes, os eletrodoméstico que se situavam nas classes mais altas na antiga etiqueta passam para classes intermédias na nova; mas também porque temos o efeito dos novos e revistos procedimentos de ensaio, mais adaptados às tecnologias e às realidades e que são mais exigentes.

O que há de novo na atual etiqueta de eficiência energética?

Esta nova etiqueta impulsionou o desenvolvimento de produtos eficientes e inovadores, o que permitiu reduzir drasticamente o consumo de energia e o preço dos eletrodomésticos.

Desde 01 de março que ficou mais fácil perceber a nova etiqueta. Mas há mais novidades: a partir de 01 de setembro a mudança irá também ser aplicada a produtos de iluminação. Outros produtos atualmente abrangidos pela regulamentação de etiquetagem energética adotarão esta nova etiqueta de forma progressiva.

Consumo de energia

Além disso, a informação sobre o consumo energético dos produtos tem agora mais importância. Localiza-se na seção central da etiqueta e é apresentado em kWh/anual, kWh por 1000 horas ou kWh por 100 ciclos, dependendo do grupo de produtos.

Como já foi referido, a nova etiqueta de eficiência energética vai continuar em mudanças, de forma que ofereça cada vez mais informação e rigor ao cliente final. Por isso, nos eletrodomésticos como os ar condicionados, fornos ou até aquecedores é provável que continuemos a encontrar a etiqueta antiga, visto que a mesma só será revista no próximo ano.

Pictogramas

A maioria dos pictogramas da etiqueta antiga mantêm-se nesta nova versão. Outros foram ligeiramente adaptados e outros foram introduzidos recentemente. Por exemplo: eficiência energética no modo grande alcance dinâmico (HDR) para televisores e monitores; tempo de lavagem para máquinas de lavar; entre outros.

Código QR

É verdade: a nova etiqueta de eficiência energética dos equipamentos tem um código QR, com toda a informação técnica que acompanha os produtos abrangidos pela regulamentação de etiquetagem energética, etiqueta energética e ficha de produto.

 

 

 

Actualizado el