A cidade do Porto

O Porto é uma cidade única que guarda segredos que só os portuenses conhecem. Na 100Modus somos fascinados pela “nossa cidade” e é com gosto e até orgulho que revelamos algumas curiosidades interessantes sobre o Porto. Mas não leia só este artigo, aproveite para dar um passeio pelas ruas do Porto e fale com as “gentes” portuenses, simpáticas e afáveis, que lhe contarão tantas outras histórias e curiosidades sobre a cidade.

Comecemos pelo nome

A cidade do Porto está na origem do nome de Portugal. Se a designação Portugal surge por via do Condado Portucalense, este assumiu esse nome devido a Portucale, uma antiga designação da cidade do Porto (que se chamou primeiramentem Cale e posteriormente, Portucale). Tal como referiun o poeta Luís de Camões, a cidade do Porto permanecerá para sempre como: “a leal cidade donde teve origem (como é fama) o nome eterno de Portugal”.

A Invicta

O brutal cerco à cidade teve uma duração superior a 1 ano, de julho de 1832 a agosto de 1833. A guerra civil surgiu na sequência da oposição entre dois irmãos, pertencentes à família real, D. Pedro IV de Portugal (I do Brasil) e D. Miguel. A cidade do Porto, por meio da valentia dos seus habitantes, evidenciou uma resistência heróica. D. Pedro IV de Portugal (I do Brasil) colocou no seu testamento a vontade de doar o seu coração à cidade, como forma de agradecimento e reconhecimento pela dedicação, lealdade e sacrifício dos portuenses. Até hoje, este órgão do monarca repousa na Igreja da Lapa e está patente simbolicamente nas armas da cidade. Para além de leal, a cidade do Porto recebeu o epíteto de «Invicta», uma atribuição dada pela rainha D. Maria II (filha de D. Pedro IV).

As tripas à moda do Porto

Em plena época dos Descobrimentos, em 1415, os habitantes do Porto doaram toda a sua carne à armada que partiu do Porto à conquista de Ceuta, ficando apenas com as tripas para comer, dando origem a um dos pratos mais famosos da gastronomia da cidade, as tripas à moda do Porto. Um outro mito sobre este prato típico faz referência às Invasões Francesas. Durante o cerco do Porto, e em determinado momento, a única carne dísponivel eram as tripas. Seja qual for a lenda verdadeira ficou para a sempre a designação de tripeiros para os naturais do porto.

Património Mundial da UNESCO

Uma das mais incríveis e desconhecidas curiosidades sobre a nossa cidade, atual Património Mundial da UNESCO, é que existiram planos reais para a demolição de grande parte da zona histórica do Porto a respetiva revitalização. Só não temos um “novo” Porto, porque durante as décadas de 40 e 50 Portugal vivia uma grave crise económica e não houve capacidade financeira para avançar com o novo projeto para o centro do Porto.

É por este feliz acaso que hoje em dia o Porto foi considerado Património Mundial da Unesco, em 1996.

A festa da cidade

Na noite de 23 para 24 de junho, os portuenses saem em massa à rua para celebrar a festa do seu santo padroeiro. Manda a tradição que entre bailaricos, se coma sardinha assada, se lançem balões para o céu e se usem martelinhos e o “alho porro” para bater gentilmente na cabeça de quem passa.

Uma superstição deste dia envolve saltar à fogueira. Diz-se que quem saltar uma fogueira neste dia, em número impar e no mínimo três vezes, fica protegido de todos os azares até ao próximo São João.

Pelas ruas do Porto ouve-se música popular om concertos de artistas populares e é normal encontrar os portuenses a cantar e a dançar à frente destes palcos pela noite fora.

À meia-noite, o habitual fogo-de-artifício é o ponto alto da festa de São João.

A Ponte D. Luís

No início do século XX ocorreu uma das maiores cheias jamais vistas no Porto. Foram tão fortes e o rio subiu tanto, que ficou apenas a quatro palmos do tabuleiro inferior da Ponte D. Luís. Esta catástrofe colocou toda a estrutura da ponta em risco, tendo sido pensada uma medida de urgência, que envolvia demolir a ponte D. Luís com explosivos.

A nossa Boavista

A Avenida da Boavista é a maior avenida portuguesa, com 6 quilômetros de extensão.

A CIDADE DAS CLARABOIAS

Conhecida como a cidade das pontes, famosa pelo seu vinho, vistas e comida… tem algo de particular. A sua colecção de excêntricas e diversas claraboias!

O centro histórico do Porto é um emaranhado de casas estreitas mas compridas, construídas sem a moderna preocupação urbanística, nas quais a iluminação, no seu interior, estava dependente de claraboias.

A elite mercantil abastada da época, para se diferenciar da restante população, fez na nossa cidade do que outrora era uma necessidade de iluminação um símbolo de estatuto social. Quanto mais extravagante a sua claraboia, melhor!

Musica da américa

A Casa da Música, inaugurada em 2005, foi classificada pelo New York Times como “uma das mais importantes salas de espetáculos construídas nos últimos 100 anos”, comparando-a ao Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles, e ao auditório da Orquestra Filarmónica de Berlim.

Estas e outras histórias fazem d porto especial e único, uma cidade que nunca se revela completamente e que nos obriga a descobrila-a a cada dia.

Actualizado el