4 dicas para gerenciar as finanças de pequenas empresas

contabbilidsde

As pequenas empresas, frequentemente, não conseguem administrar suas finanças. Muitos proprietários e gerentes acreditam que estão pagando a mais por seus impostos ou assumem riscos, como não separar contas bancárias pessoais e comerciais, ou depositar confiança exagerada na precisão de seus registros financeiros.

Empresas que pretendem alcançar sucesso devem saber como administrar suas finanças de maneira adequada, pois o uso de processos financeiros e contábeis desatualizados ou inadequados pode inibir o crescimento de sua receita.

Uma pequena empresa deve responder a uma série de perguntas se quiser obter sucesso financeiro a longo prazo. Essas questões incluem:

  • Você deve manter uma conta bancária separada para seu negócio?
  • Quais são os métodos de caixa e de provisionamento antecipado para controlar as finanças?
  • Qual método é o melhor para monitorar as finanças?

É possível entender onde sua contabilidade está falhando e quais os melhores processos para gerenciar suas finanças, maximizando o potencial financeiro com algumas dicas simples.

Veja 4 dicas para gerenciar finanças de pequenas empresas

1. Mantenha as finanças pessoais e comerciais separadas

Administrar uma pequena empresa já é difícil o suficiente sem o estresse de confundir negócios e transações pessoais.

Alguns proprietários de pequenas empresas encontram maneiras de manter as finanças separadas, apesar de continuarem com apenas uma conta bancária, pagando a contas com cartões diferentes, por exemplo.

No entanto, essa estratégia não funciona para todos e muitas empresas acabam enfrentando desafios ao misturar finanças pessoais e comerciais.

Ter contas bancárias separadas desde o início pode proteger seu negócio de problemas futuros, evitando confusão, especialmente à medida que sua empresa cresce.

2. Determine o melhor método para monitorar suas finanças

As pequenas empresas têm duas opções diferentes para controlar suas finanças: o método de regime de competência e o método de regime de caixa. Embora alguns especialistas considerem o regime de competência um método melhor, é importante ficar de olho em ambos.

Qual é a diferença entre o regime de competência e os métodos de regime de caixa da contabilidade para pequenas empresas?

No regime de competência, as receitas e despesas são registradas no momento em que são auferidas, independente de quando o dinheiro é efetivamente recebido ou pago.

O regime de contabilidade de caixa reconhece as receitas quando o dinheiro é recebido e as despesas são pagas. Este método não reconhece contas a receber ou contas a pagar.

Por exemplo, de acordo com o regime de competência, se você receber uma fatura em 31 de julho, mas não a pagar até 1º de agosto, a fatura será registrada em suas despesas de julho, pois foi quando foi recebida.

Ao contrário, no regime de caixa, você registraria a conta nas despesas de agosto, porque é quando o dinheiro realmente saiu de sua conta bancária.

Qualquer um dos métodos pode funcionar para sua empresa com base em suas necessidades financeiras específicas.

O método de caixa é melhor se você tem muitas transações e lida diretamente com os clientes. Enquanto isso, o método de acumulação é melhor se você lida com grandes empresas e não recebe o pagamento rapidamente.

Embora o regime de competência possa funcionar bem para grandes empresas, ele tem desvantagens, como limitar a compreensão do fluxo de caixa dos proprietários de negócios.

A desvantagem é que a contabilidade de caixa não fornece nenhuma percepção do fluxo de caixa; uma empresa pode parecer muito lucrativa, embora, na realidade, tenha contas bancárias vazias. A contabilidade da base de competência, sem monitoramento cuidadoso do fluxo de caixa, pode ter consequências potencialmente devastadoras.

As pequenas empresas inteligentes monitoram seus ganhos e fluxo de caixa.

É preciso olhar para o regime de competência para aprender as margens, ver como estão suas finanças e ser capaz de planejar o futuro. As projeções de fluxo de caixa são extremamente importantes para descobrir quando elas vão precisar de dinheiro.

Controle as finanças da sua pequena empresa usando tanto o regime de competência quanto o método de caixa - e garanta uma visão completa do seu dinheiro.

3. Procure ajuda para a contabilidade - mesmo se você achar que tudo está correto

Quase todas as pequenas empresas acreditam que seus registros financeiros estão corretos, mas os especialistas duvidam dessa afirmação. As empresas podem cometer pequenos erros em sua contabilidade e, portanto, devem procurar ajuda externa para verificar seu trabalho.

Muitas das empresas desconhecem as imprecisões contábeis e podem pensar que estão bem, até que uma firma de contabilidade ou especialista questione seu balanço patrimonial.

Erros comuns na contabilidade de pequenas empresas incluem:

  • Registro de transações atuais em um período anterior;
  • Classificação incorreta de despesas na categoria errada;
  • Receitas perdidas.

As pequenas empresas não devem ter medo de procurar ajuda externa se tiverem alguma dúvida sobre a exatidão de seus registros financeiros - e podem precisar de ajuda mesmo se acreditarem que tudo está correto.

4. Solicite mais deduções fiscais ao contratar um contador

Embora as pequenas empresas estejam confiantes em suas habilidades de preparação fiscal, muitas ainda acreditam que poderiam reivindicar mais deduções e créditos.

Essas empresas estão muito confiantes em sua capacidade de declarar seus impostos com precisão, mas surpreendentemente, apesar dessa confiança, algumas dessas empresas também acreditam que estão pagando a mais em seus impostos.

As pequenas empresas podem hesitar em procurar ajuda externa com seus impostos devido ao custo e, em vez disso, podem optar por declarar eles próprios os impostos sobre as empresas. Ainda assim, os benefícios de trabalhar com um consultor fiscal podem compensar os custos.

Pode valer a pena ter um contador profissional que esteja atualizado com as regras e softwares tributários mais recentes. Deixe que especialistas preparem suas declarações de impostos e ajudem você a navegar no mundo complexo de regras fiscais em constante mudança. No longo prazo, isso trará uma economia de dinheiro muito grande em comparação aos proprietários de pequenas empresas que tentam fazer isso por conta própria.

A declaração de impostos pode ser uma tarefa confusa e opressora para muitos, e a contratação de um contador pode beneficiar significativamente seu negócio.

Embora seja importante para as pequenas empresas economizarem dinheiro, não procurar ajuda quando você precisa, na verdade, pode ser mais prejudicial para o seu negócio.

É preciso pensar criticamente sobre seus processos financeiros. O gerenciamento adequado do dinheiro é fundamental para o sucesso.

Embora você possa confiar nos registros financeiros da sua empresa, é fácil cometer um erro.

Portanto, lembre-se de manter as dicas deste relatório em mente:

Tenha uma conta bancária separada para sua pequena empresa;

  • Use principalmente o método de regime de competência para controlar as finanças embora seja fundamental ficar de olho no fluxo de caixa também;
  • Invista em ajuda externa, mesmo se você achar que não precisa.
Actualizado el