4 dicas de economia na hora de reformar

reformas

Economia de tempo e dinheiro são dois pontos importantes quando o assunto é reformar uma casa ou apartamento. 

Esse trabalho, normalmente, é sinônimo de transtorno e preocupação, mas com um pouco de organização, tudo melhora.

Os imóveis são bens valiosos não apenas pelo valor deles, mas também porque representam o lar, o local onde vivemos e convivemos com pessoas importantes para nós.

Com o passar do tempo, muitas coisas começam a exigir uma reforma, como situação do imóvel, família aumentando ou pelo simples fato de querer melhorar a propriedade.

E assim como tudo na vida, uma casa ou apartamento também precisa de alguns ajustes e manutenções para que continue habitável.

São cuidados que valorizam o imóvel e que fazem toda a diferença se você quiser vender, trocar ou alugar. 

Entretanto, só de pensar na bagunça e na sujeira de uma reforma, algumas pessoas acabam desistindo.

A boa notícia é que tudo isso tem jeito, desde que você saiba como administrar esse momento. 

Pensando nisso, neste artigo, vamos te ajudar a programar a reforma, mostrar algumas etapas desse processo e dar algumas dicas para economizar.

Reforma: como se programar para uma?

Antes de comprar os materiais e chamar o pedreiro, existe uma palavra de ordem: planejamento. 

É por meio dele que você vai se organizar e chegar ao resultado que espera com a sua reforma. O planejamento envolve:

Definir o orçamento

O primeiro passo é saber ao certo a quantia que você dispõe para reformar a propriedade. Estabeleça esse valor com antecedência e faça uma reserva para arcar com os imprevistos.

Ao fazer isso, você não extrapola os gastos e prejudica a saúde financeira da família. 

Assim, pode contar com serviço especializado, como uma empresa de cabeamento estruturado.

Se estiver muito apertado, talvez seja o momento de reduzir algumas despesas supérfluas, mas tudo deve ser feito antes de começarem os trabalhos.

Criar um cronograma

O cronograma vai estabelecer as etapas necessárias para o seu projeto de reforma, e ele envolve particularidades, como:

  • Onde a obra começa;
  • Cômodos que serão reformados;
  • Tempo de duração de cada um;
  • Profissionais necessários.

Se você trabalhar com prazos, metas e valores, além de uma data limite para o término, vai poder acompanhar melhor a reforma e preparar tudo, conforme suas necessidades.

As etapas devem estar de acordo com seu planejamento, então, decida por qual cômodo a reforma vai começar, onde a mobília do local será armazenada e como será a acomodação até que tudo esteja pronto.

Comprar tudo com antecedência

Veja tudo que será necessário, como análise de solo completa, equipamentos e produtos, para garantir que apenas o essencial será comprado, respeitando o seu orçamento.

Tenha atenção quanto à qualidade dos materiais, visto que pagar mais barato nem sempre é sinônimo de vantagem. 

Isso pode fazer com que em pouco tempo sua casa precise de uma nova reforma, ou seja, mais gastos.

Contratar mão de obra

Ao chegar nesta etapa você já tem uma boa ideia dos profissionais que serão necessários para executar a obra. 

Para obter um bom resultado, é essencial contar com mão de obra qualificada.

Converse com pessoas de sua confiança que já fizeram reformas e peça para que indiquem bons profissionais. 

Faça uma lista com as indicações e entre em contato para fazer o orçamento e combinar o prazo.

Escolha profissionais especializados

Algumas reformas são simples, como no caso de pintura de casas, entretanto, existem outras que são mais complexas, visto que podem mexer com a estrutura da construção.

Se você tem dúvidas, antes de quebrar uma parede ou retirar uma viga, converse com um engenheiro ou arquiteto. 

Eles são profissionais especializados que podem te alertar quanto aos riscos de certas mudanças.

Agora que você já sabe como se programar, no próximo tópico, vamos mostrar quais são as etapas de uma reforma.

Etapas de uma reforma

Um projeto de reforma pode conter uma ou mais das etapas a seguir, mas, de modo geral, as mais comuns são:

Proteção

As reformas são um trabalho intenso, e por isso, alguns materiais podem quebrar. Ademais, a poeira gerada por ela pode representar um risco para a saúde.

Pensando nisso, proteja móveis, vidros e janelas e conte com um bom aspirador de pó para retirar o excesso de sujeira. 

De preferência, isole o local a ser reformado dos demais moradores.

Demolição

Algumas reformas são mais complexas, como as que envolvem demolição. Neste caso, ela vem antes de outros procedimentos, como restauração de pisos de madeira.

É importante contar com profissionais e empresas especializadas nesse trabalho, uma vez que eles contam com os equipamentos necessários e podem avaliar a estrutura antes de demolí-la.

Uma única parede derrubada pode causar um enorme estrago em toda a estrutura da propriedade, pois algumas fazem parte da laje ou fundação da construção, portanto, não pode ser removida.

Se você for reformar um apartamento, não acumule o entulho em um único ponto. Espalhar sacos para entulho em vários pontos evita que a estrutura do imóvel seja prejudicada.

Reconstrução

Ao fazer reformas de casas, se um dos objetivos for incluir paredes novas ou estruturas, é necessário fazer a reconstrução.

Para isso, é necessário planejar com antecedência quais mudanças serão realizadas. 

Uma boa dica é optar por paredes de drywall, já que são fáceis de instalar ou retirar e não fazem muita sujeira.

Paredes e portas: amaciamento

A falta de atenção pode acarretar imperfeições nas paredes, e elas podem ser percebidas por meio de reflexos da luz das luminárias.

O amaciamento é um processo que acontece por meio da aplicação de massa corrida, e logo após o lixamento. 

As portas são apenas lixadas, amaciadas e repintadas para que tenham um bom aspecto final.

Essas são algumas das etapas de reforma mais comuns em um imóvel, mas agora você já está pronto para saber como economizar durante esse processo.

Dicas para economizar

As reformas construção civil podem ser muito mais econômicas se você souber como fazer isso. Por isso, separamos as seguintes dicas:

1. Definir um limite de gastos

Defina um valor que você pode gastar antes de começar a fazer qualquer coisa, assim, você evita que tudo saia do controle.

Pesquisa com calma os preços dos produtos e inclua nisso o valor cobrado pela mão de obra dos profissionais. Faça orçamentos e negocie tudo.

Não se esqueça de que as reformas, desde as mais simples até as mais complexas, podem gerar alguns gastos extras com água e luz.

Portanto, esse aumento no consumo também deve ser incluído nos gastos.

Veja quanto você pode pagar por mês sem prejudicar a qualidade de vida ou se arriscar com dívidas. Para dar conta, faça uma reserva específica para a sua reforma.

2. Pagar à vista

Seja na hora de pagar o eletricista instalador ou os materiais que você vai comprar, prefira pagamentos à vista. 

É tentador usar o cartão de crédito ou pedir um crédito para reformas junto aos bancos, mas isso vai ter um custo lá na frente.

Além disso, evite fazer compras em crediários de lojas de material de construção, visto que cada uma pode cobrar os juros que quiser.

O parcelamento só é viável quando você realmente precisa da reforma, é algo urgente e que você não consegue arcar.

Além disso, pagar à vista é uma carta na manga na hora de negociar preços. 

Ao pagar dessa forma, os lojistas e profissionais oferecem descontos maiores, já que é muito mais vantajoso para eles.

3. Não ter pressa

Pessoas apressadas quando o assunto é reforma sempre acabam prejudicando o orçamento. Vá com calma, já que uma obra apressada traz mais gastos, desperdício e retrabalho.

Se você fica controlando o tempo, deixa de lado outros aspectos importantes desse trabalho, como atenção e cuidado com cada detalhe.

Ademais, apressar as coisas não vai trazer um bom resultado, o que, além de prejudicar o aspecto visual da obra, pode representar um risco para a família.

4. Priorizar a qualidade

Os materiais e equipamentos como furadeira de coluna devem ser de boa qualidade. 

Isso não significa que você precisa comprar tudo do mais caro, mas sim analisar bem a qualidade do que vai colocar dentro de casa.

É uma forma de valorizar o seu dinheiro, sua propriedade, e evitar que no futuro você precise gastar novamente para consertar algo que não deveria dar problema tão cedo.

Conclusão

Reformar o seu imóvel pode ser muito mais tranquilo com um pouco de organização, planejamento e conhecimento.

Neste artigo, você conheceu um pouco mais sobre esse projeto e como fazer para que ele não saia mais caro do que o previsto. 

Assim, você respeita o seu bolso e terá uma casa nova e perfeita para toda a família.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Actualizado el